Sanágua Análises químicas e ambientais Sanágua Análises químicas e ambientais

 

Notícias

Aberta eleição de conselheiros para o GEF-Mar

quarta, 04 de maio de 2016 às 15h22
De hoje até as 18h (horário oficial de Brasília) do dia 16 de maio, os mandatários das organizações não governamentais (ONGs) inscritas no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas (CNEA) podem votar para escolher seus dois representantes para atuar junto ao Conselho do Projeto Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas (GEF-Mar). Eles terão assento no Conselho até outubro de 2019, prazo previsto para conclusão do projeto. Podem votar os titulares das ONGs das regiões Sul, Sudeste, Norte e Nordeste.

A escolha será realizada, exclusivamente, por meio eletrônico e cada ONG ambientalista pode votar em uma candidatura por região. Os interessados em participar da seleção devem solicitar a cédula eletrônica de votação, contendo os nomes das instituições candidatas habilitadas, pelo e-mail: gefmar_ucp@mma.gov.br. O pedido deve ser dirigido à Unidade de Coordenação do Projeto GEF-Mar pelo dirigente da entidade ou seu representante legal, informando o nome de registro e CNPJ da instituição.

O PROJETO

O GEF-Mar é um projeto do governo federal, criado e implementado em parceria com instituições privadas, da sociedade civil e governamental para promover a conservação da biodiversidade marinha e costeira. O Projeto busca apoiar a criação e implementação de um Sistema de Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas no Brasil a fim de reduzir a perda de biodiversidade na costa e nos mares.

A iniciativa conta com recursos de doação do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês), sendo o Banco Mundial a agência implementadora, e de contrapartida do governo brasileiro, por meio do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

O CONSELHO

O Projeto GEF-Mar está organizado em três instâncias principais, sendo uma delas o Conselho do Projeto (CP), que é consultivo e responsável pelo aconselhamento político e estratégico. As outras duas instâncias são o Comitê Operacional do Projeto (COP) e a Unidade de Coordenação do Projeto (UCP), ambas de caráter executivo e operacional.

O CP, composto por 12 representantes do governo e da sociedade civil, conta com duas vagas para conselheiros que representam as ONGs ambientalistas, das quais uma para a região Norte/Nordeste e outra para a região Sul/Sudeste.

Conheça as propostas de cada candidato:

Associação Rare do Brasil

Visa contribuir para a definição das prioridades de investimento, atuação e políticas na consolidação e expansão do sistema de áreas protegidas marinhas no país; acompanhar o progresso do Projeto, colaborando com avaliações, recomendações e sugestões de reajustes necessários ao longo do processo; e contribuir com experiência técnica e vivência de campo da instituição nas áreas marinhas onde trabalha, atualmente, e virá a trabalhar.

Grupo de Defesa e Promoção Socioambiental

O Grupo de Defesa e Promoção Socioambiental (Germen) se candidata à vaga do Nordeste para compor o Conselho do GEF-Mar por entender que em quase 35 anos de trabalho em prol de um meio ambiente mais equilibrado e sadio para as futuras gerações, tendo como foco principal a Baia de Todos os Santos, adquiriu vasta experiência e pode contribuir aconselhando, política e estrategicamente, o Projeto, bem como na sugestão da gestão de paisagens costeiras e marinhas.

Instituto Coral Vivo

Objetiva apoiar, divulgar e promover ações relacionadas à implantação do Projeto GEF-Mar e seu Manual Operacional–MOP; esforçar-se para o alcance das metas propostas; apoiar e promover a articulação entre os atores da Sociedade Civil e seu fortalecimento institucional, incluindo as organizações comunitárias e comunidades tradicionais, em especial aos projetos de uso sustentável de recursos naturais nas unidades de conservação marinhas e seus entornos.

WWF-Brasil

Pretende apoiar a expansão do Sistema de Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas no Brasil, por meio da experiência da organização com articulação de atores chaves (governos, empresas, comunidades) e identificação de mecanismos de sustentabilidade financeira, visando a revitalização da economia do mar, protegendo as vidas e os meios de subsistência das comunidades.

Fonte: http://www.mma.gov.br

 

Veja também